quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Série Irmãs Royle – Vol. 01 - Como Seduzir um Duque - Kathryn Caskie

 








Um duque Conquistador ... Uma mulher Apaixonada ...




Londres, 1814 Impossível resistir... Por que será que o duque de Blackstone está tentando arruinar os planos de Mary de se casar com o irmão dele, o atraente visconde Wetherly ? Basta ela virar uma esquina que lá está ele, a provocá-la ... E quanto mais Mary tenta ignorá-lo, mais insistente ele se torna. Mary sabe que precisa fazer um bom casamento, mas Blackstone está longe de ser o noivo ideal ! Ou não ? Blackstone está determinado a impedir que seu irmão se deixe levar pelo charme de uma pretendente astuta, mesmo que se trate de uma dama tão encantadora quanto Mary Royle. Mas até Mary aparecer, mulher nenhuma havia resistido ao seu poder de sedução ...



Será possível que ele esteja se apaixonando por aquela jovem enervantemente bela e encantadora ? ...





Recebi esse livro emprestado, também mês passado, no 17° Encontro do Adoro Romances Fortaleza, sendo que dessa vez a proprietária é a Gracy, integrante recente do grupo, que nos contagia com seu entusiasmo e alegria. Gracy, obrigada. Tu me empresta os outros da série ?!? Rsrs.



Esse é o 1° livro da Série Irmãs Royle. Nele, somos apresentadas à Mary Royle, cética de sua condição de princesa, que tenta de todas as formas conquistar e se casar com o Visconde de Wetherly.



Mas quem acaba totalmente rendido ao seu fascínio é o Duque de Blackstone, conhecido libertino e irmão de seu pretendente. Uma estória divertidíssima, com uma protagonista incomum, impulsiva e apaixonante, que me fez chorar de tanto rir. Tenho certeza que você também irá adorar.



Segue abaixo um trechinho do livro, primeiro encontro dos protagonistas, para vocês verem as enrascadas nas quais eles se metem.






Assim, sendo uma estátua de jardim um tanto suja, Mary virou as costas para a sebe e depois dobrou as mãos diante de si, tentando da melhor forma possível, fazer-se passar por uma escultura de mármore elegantemente lapidada. Nem bem fechou os olhos, ouviu os passos do homem bem próximos. Nos instante seguinte, Mary percebeu que ela havia parado bem à sua frente. Não se mova. Não respire. Ouviu-o soltar uma risada nervosa e rouca. - Lugar estranho para uma estátua – resmungou o homem. – Quinn, há uma estátua aqui. Você a viu? Adorável. Tem detalhes extraordinários. Muito realistas. (...) O cavalheiro não se afastou, e Mary teve a distinta impressão de que ele a estudava com atenção. Na verdade, estava tão perto que ela podia sentir o calor de sua respiração, e isso a fez tremer. Oh, perdição! Por que ele não ia logo embora? Mary receava que seu disfarce houvesse sido descoberto. Tinha de ver o que se passava. Tinha de se arriscar. Lentamente, abriu um pouco as pálpebras e espiou através dos cílios empoados. E viu, estupefata, a mão do estranho se esticar como se fosse empalmar-lhe o seio. Meu Deus! Oh, Senhor, ele realmente pretende tocar meu ...



- Como ousa! – Os olhos de Mary se arregalaram. Ela levou a mão para trás e desferiu uma bofetada na face do homem.”


2 comentários :

  1. Josy, adorei o livro e só li esse trechinhos... Estou na fila para lê-lo.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu adoraria entrar na fila. Não consigo encontrar um para comprar!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...