segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Bilionários por Acaso: A Criação do Facebook – Ben Mezrich (Direto do Oscar para ARFortaleza)

Facebook

A excitante história de como dois estudantes desenturmados de Harvard, que tentavam aumentar suas chances com o sexo oposto, criaram o site de relacionamento que se tornou uma das mais poderosas empresas do mundo, o FACEBOOK.

Bilionários por Acaso : A Criação do Facebook — Uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição é uma aventura real, que envolve investidores poderosos, mulheres maravilhosas, a busca do estrelato social e muitas intrigas. De forma divertida e interessante, narra o fim da inocência no ritmo da criação controversa da rede social que revolucionou a maneira como milhões de pessoas se relacionam.

wstar

Bem, todos ontem viram a premiação da Sétima Arte… Não? Pois bem, trago agora o assunto do momento: Facebook, uma interessante e eficiente rede social que une versatilidade, diversão, informação e dinamismo e que nasceu da idéia de um jovem talento da computação  chamado Mark Elliot Zuckerberg e seu co-criador, um brasileiro de classe média alta graduado em economia (como eu) chamado Eduardo Saverin – ambos pertencentes a Harvard (uma das mais importantes universidades do mundo).

facebook

Ganhador do Oscar de melhor roteiro adaptado, o filme “A Rede Social” foi baseado nesse livro que vos apresento graças a gentileza da Editora Intríseca que gentilmente enviou-me o livro para apreciação e resenha. O filme realmente mereceu o prêmio nesta categoria e recomendo que tanto leiam o livro como assistam o filme que é riquíssimo em informações e detalhes.

E sobre o livro? Por Alá! INTERESSANTÍSSIMO dentro de suas limitações porque as fontes do autor foram muito escassas e ele teve que se valer da técnica de recriar diálogos, recriar cenas com base em informações descobertas em documentos e entrevistas de acordo com a sua melhor percepção dos fatos, utilizando, também, alguns exemplos, descrições e detalhes adaptados.

O livro é baseado em relatos a respeito de como dois jovens deslocados foram capazes de criar uma rede social que revolucionou as relações no meio digital e tornou-se uma das empresas mais bem sucedidas dos últimos anos. Mas não é somente isso, há uma batalha judicial entre eles (atualmente ex-amigos) e a história de como tudo começou aguçou muito a minha curiosidade. Infelizmente, os relatos são tanto quanto curtos e não contou com a participação de Mark, mas Eduardo foi uma importante fonte para a criação do livro – principalmente por relatar como dois deslocados numa das maiores universidades do mundo começaram a investir num projeto que visava atrair a atenção feminina e que, sem querer, tornou-se uma grande fonte de riqueza ocupando o posto de maior rede social mundial. Para que vocês entendam do que estou falando e de como a idéia Facebook foi impressionantemente e despropositadamente brilhante, trago dois relatos:

De acordo com a reportagem da Revista Veja:

O site nasceu como uma rede concentrada na quase pueril tarefa de comparar as garotas da Universidade de Harvard. Devido ao sucesso, fazer parte da comunidade se tornou um anseio entre os estudantes. Primeiro em Harvard, em seguida em Stanford, Columbia, Yale e MIT. Esse foi o fator propulsor dos primeiros momentos da rede, nos Estados Unidos e Grã-Bretanha.

Mas o que de fato catapultou a rede, que já ultrapassou a marca de 500 milhões de usuários, foi a decisão de manter a sua API (application programming interface, ou interface de programação de aplicações) aberta a desenvolvedores independentes. "O Facebook foi uma das primeiras redes a permitir a criação de aplicativos baseados em seu código", lembra Raquel Recuero, pesquisadora e professora da Universidade Católica de Pelotas, no Rio Grande do Sul. A estratégia permite que o site se renove à medida que mais desenvolvedores criam jogos, enquetes e outras aplicações de interação.

Segundo números oficiais, mais de um milhão de desenvolvedores de 180 países utilizam atualmente a plataforma aberta para criar diferentes ferramentas. Ao todo, a rede social acumula 550.000 aplicações, utilizadas mensalmente por 350 milhões de cadastrados. O sucesso da tática fez com que Orkut e MySpace, seus principais concorrentes, adotassem - com atraso - o mesmo plano de ação. – Revista Veja 26/11/2010

Ainda sobre o brilhantismo do criador, Luiz Vieira, em seu artigo sobre os Os quatro melhores engenheiros sociais de todos os tempos transcreveu um trecho do artigo do site Darkreading que aponta Mark Elliot Zuckerberg como o número um em genialidade porque:

“Ele desenvolveu um portal web e enfiou um monte de pessoas em seu bolso. Estabeleceu confiança com seus usuários, facilitando que divulgassem segredos de sua vida, renunciando a informações pessoais, hábitos, condutas, atividades e fotos e vídeos. Ele reuniu toda essa informação e logo depois a vendeu, de forma legal, por milhões de dólares.”

O livro é relativamente curto, com uma descrição bem feita, uma linguagem acessível que nos impulsiona a devorá-lo rapidamente e ainda deixa aquela sensação de quero mais, muiiiito mais!!! E há um prêmio: o autor é um ex-aluno de Harvard também, então sabe como falar da instituição porque também viveu lá e fez um ótimo tour a respeito de grandes empresas de venture capital do Vale do Silício e de personalidade famosas do meio digital e do estrelato.

No final, fiquei um tanto quanto pensativa e introspectiva. Mark era um nerd no sentido amplo do termo e Eduardo alguém que tentava se adaptar a um outro país. Ambos se conheceram e se aproximaram com o objetivo de obter introsamento e aceitação – principalmente do público feminino da universidade. Ambos formavam um todo: um gênio criativo que preocupava-se com o projeto e um batalhador que buscava recursos junto a grandes investidores para financiar o pequeno invento de alto potencial. Mas o dinheiro se interpôs. Não quero julgar, não sabemos qual a real situação de tamanha batalha judicial porque tudo é muito nebuloso, os processos correm em sigilo, mas… A amizade acabou. E restaram os milhões de Mark além de algumas acusações contra ele de se aproveitar das idéias alheias. Será que valeu mesmo a pena? Bem, não sei. Tenho uma amiga que é minha siamesa. Eu gostaria de vencer, mas não gostaria de perder a amizade da Adriana Boattini por nada no mundo. Nem a amizade da Sueli Jansen, nem da Michela Maciel, nem da Luciana Ximenes, nem da Karla Machado, nem da Juliana Vicente, nem da Liliana Rodrigues, nem da… Xiii… São muitas amigas e elas são o meu maior tesouro, a minha maior rede social de sucesso e agradeço a Deus por isso!

Livro Recomendadíssimo! Leiam e apreciem sem moderação!!!

Hasta la vista!^^

Bilionários por Acaso : A Criação do Facebook — Uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição

  • Editora: Intrínseca
  • Autor: BEN MEZRICH
  • ISBN: 9788598078946
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2010
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 232
  • Acabamento: Brochura
  • Formato: Médio

3 comentários :

  1. Dificilmente leio biografias ou mesmo resenhas de biografias, sei que é um erro, afinal muito se pode aprender com elas, mas infelizmente não consigo gostar.

    Li toda sua resenha Su, pois sei como vc tem a capacidade de passar um impressão real e interessante do livro.

    Eu vi o filme e achei muito interessante, a capacidade de criação desses dois ex-amigos é impressionante.

    Como vc eu não tenho idéia do que se passa debaixo dos panos entre essas pessoas e suas batalhas judiciais, mas acredito que nem todo o dinheiro do mundo apaga a solidão.

    Enfim, adorei a resenha e quem sabe depois não pego esse livro emprestado com vc para ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esse livro não me chamou a atenção quando o vi pela primeira vez, mas depois de tantas resenhas positivas estou até pensando em dar uma chance a ele, quem sabe eu ganho numa promo né?
    ótima resenha!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha, estou algum tempo curiosa para ler o livro, vamos ver.

    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...