terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A Estrada do Mar – Barbara Delinsky

439490_450Rachel Keats e Jack McGill eram pintores, profundamente apaixonados quando se casaram, até que as pressões da vida começaram a cobrar o seu tributo. Depois de dez anos de casamento, eles de divorciaram e seguiram por caminhos separados. Jack permaneceu em San Francisco, e Rachel com as duas filhas pequenas para Big Sur. Passados seis anos, Jack recebe um telefonema pedindo que vá ao hospital em que a ex-esposa se encontra internada, após sofrer um acidente automobilístico na estrada. Enquanto ela permanece em coma, Jack se mantém em vigília à sua cabeceira e descobre, então, uma Rachel que não conhecia. Ele passa as ver Rachel, as filhas e a s história de seu casamento com novos olhos. Em A Estrada do Mar, Barbara Delinsky descreve com precisão refinada os laços que nos ligam às pessoas e lugares que mais amamos.

BarbaraDelinsky

Senta que lá vem história… E das boas!^^

Em meio a onda de romances sobrenaturais muitas vezes regados a sensualidade e sexo selvagem assim como a mais variada linha de BDSM que assola o mundo literário atual, este livro funcionou como um bálsamo para o meu espírito me fazendo pensar se tudo aquilo que damos prioridade na vida é de fato importante. Trabalho? Sucesso? O que eles são quando se perde tudo o que de fato conta: aqueles a quem amamos?

E assim, mais uma vez, Barbara Delinsky, a mestra em desvendar o lado psicológico do ser humano e suas crises pessoais, a escritora que tem o dom de criar estórias com uma força emocional e profundidade exacerbada, dá um show de inteligência e criatividade num romance extremamente simples que conseguiu me levar às lágrimas e isso é um marco – principalmente porque me emociono com as coisas e as pessoas, mas não sou de chorar.

Sou fascinada pela música, teatro, cinema, dança, literatura, pintura e escultura (não necessariamente nesta ordem) e para completar, Rachel Kaets é uma pintora sensível muito ligada a natureza e as coisas simples da vida. Sabe que encontrou o amor e o amante que sempre quis para si em Jack McGill – um homem ambicioso por conta da origem humilde – com quem casou e teve duas filhas: Samantha e Hope.

E o sentimento que os unia não foi páreo para o desejo de Jack de vencer, de mostrar ao mundo seu talento como arquiteto, levando a sua amada a ir embora de sua vida. Amargurado e orgulhoso, ele permanece em San Francisco e Rachel parte com as filhas para um paraíso chamado Big Sur.

Até que seis anos depois, ele acorda na madrugada com um telefonema avisando-o que sua ex-esposa está em coma e as duas filhas que mal tem contato precisam de sua ajuda. Sem exitar e sem saber, ele parte para uma viagem que é uma mudança muito mais profunda do que aparenta ser. Em Big Sur, enquanto a ex-mulher está em coma e as filhas atordoadas, ele descobre através de amigos e vizinhos uma Rachel que ele desconhecia, começa a ver a separação de ambos por uma outra ótica, começa a perceber que deixou escapar pelas mãos tudo aquilo o que de fato conta: o amor e as pessoas que amamos. E é ali na iminência da morte que inconscientemente ele roga por uma segunda-chance sem nem saber se a merece e começa a rever sua vida, seus valores e o sentido da felicidade.

Rachel é que nem as outras mocinhas de Barbara: frágil, mas forte, apaixonada mas repleta de amor próprio. Ela não é uma mulher de ficar em segundo plano e nem de baixar a cabeça ante as dificuldades. Acima do amor que sente por Jack está o amor por si própria, pelas filhas e pela vida. Jack não é um mau-caráter, é apenas mais um de nós que se perde do objetivo principal: ser feliz. E aí, confunde dinheiro, fama e sucesso com felicidade obrigando a mulher a viver em um mundo de futilidade e aparências que povoou a vida de Rachel e a fez querer uma realidade mais simples, mais humana.

Este é um livro de lição de vida com pitadas de sedução, que fala ao coração tanto no exemplo do casal principal como nos dois casais coadjuvantes – o que é bem da Barbara trabalhar e fazer como ninguém. Temas delicados e seus traumas psicológicos como acidentes que levam alguém a paralisia de membros e a mastectomia e seus resultados em uma mulher cancerosa são tratados com maestria.

Parabéns a Bertrand Brasil pelo livro: um excelente acabamento, uma linda capa e pouquíssimos erros na impressão.

RECOMENDADÍSSIMO!

Hasta la vista!^^

9 comentários :

  1. Ótima resenha, nunca li nada da autora mas tenho mta vontade de ler!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Barbara é tudo, consegue tocar nossos corações num livro leve que retrata o cotidiano, palmas sempre para ela!
    Adorei ler a resenha do livro que "quase" ganhei de amigo secreto, kkkk
    Adorei a resenha Su, beijão!

    ResponderExcluir
  3. Já li vários livros da Bárbara, e este é lindo demais. Gosto muito da maneira como ela escreve e sua resenha foi perfeita. Parabéns.

    Beijos

    Eliane (Leituras de Eliane)

    ResponderExcluir
  4. Su, não sabe como fico feliz de você ter gostado do livro, foi dado com muito carinho.

    Já li livros maravilhosos dessa autora e depois dessa sua resenha quero ler este livro.

    Super beijo.

    ResponderExcluir
  5. Que resenha linda Suzana. Adorei. Deu vontade de largar tudo e ler esse livro.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Que vontade de ler esse livro Pan!!

    me fez viajar agora, sentimentos perdidos, amor incondicional, familia. tem tudo nessa resenha.

    adorei! Já esta na lista.hehehe

    bjs amore.

    kary

    ResponderExcluir
  7. É desse tipo de livro que estou precisando. Chega de vampiros, anjos e afins no momento. Vou ler com certeza!
    Bjkas!

    ResponderExcluir
  8. Meninas, é um livro tipo aqueles romances água com açúcar, só que incrementado. E a Hope, a filhinha caçula, me emocionou. Este livro foi presente de amigo secreto da Ju Vicente e ela deu ele por engano pra Leninha. Por pouco perco esta preciosidade! kkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...