sexta-feira, 19 de agosto de 2011

O silêncio do túmulo - Arnaldur Indridason

O Silêncio do Túmulo

O Silêncio do Túmulo

Arnaldur Indridason

"Um fenômeno literário internacional. Autêntico, assombroso, melancólico, de tirar o fôlego." - Harlan Coben


Sinopse

Um esqueleto, provavelmente datado da Segunda Guerra, é encontrado nas gélidas imediações de Reykjavík, Islândia. Enquanto um grupo de arqueólogos trata de removê-lo e analisá-lo, cabe ao inspetor Erlendur desencavar histórias escabrosas não resolvidas da região. Mas acontecimentos tão antigos são difíceis de ser retraçados, sobretudo quando nem todo mundo deseja lembrar-se deles. Quem afinal morava no chalé inacabado do alto da colina, e o que aconteceu lá? Pode um crime brutal ter ocorrido no quartel dos aliados, instalado naquele local durante a guerra? Será que a jovem mulher, comprometida com um homem bem-sucedido de uma tradicional família islandesa, jogou-se mesmo ao mar, sem motivo aparente?

Essas não são, no entanto, as únicas questões que pairam sobre a cabeça do policial: sua filha, Eva Lind, com quem ele mantém uma relação distante, entrou em coma devido ao abuso de drogas. O acontecimento leva Erlendur a questionar toda a sua vida, bem como a rememorar um trauma de infância envolvendo o irmão e uma tempestade de neve. Mas, na Islândia de Indridason, não só a natureza é inclemente; o passado que vem à tona vai revelar inúmeras marcas de violência, escondidas nas ruas de Reykjavík, nos porões dos apartamentos, ou em um chalé isolado.

A alternância entre a investigação, os dramas pessoais de Erlendur e os episódios ocorridos naquela colina há mais de sessenta anos fazem de O silêncio do túmulo um romance policial bastante peculiar: mais do que nas pistas físicas, a resolução do suposto crime está na memória inexata daqueles que habitam este lugar inóspito, à beira do esquecimento. Essas idas e vindas temporais, habilmente construídas pelo autor, deixam ainda mais tocantes as histórias, e potencializam as sucessivas surpresas guardadas para o final.

"Ao narrar um crime de tamanha amplitude emocional e complexidade sociológica, o estilo austero de Indridason ganha contornos épicos." - The New York Times Book Review


Quando comecei a ler esse livro à primeira coisa que me chamou a atenção foram os nomes dos personagens. A editora deixou os nomes originais. Gosto quando isso acontece, ainda que em alguns momentos tenha fica confusa sobre quem era quem e quem era homem e quem era mulher rsrs. Temos nomes como Erlendur, Mikkelína, Sigurdur... acho que o que seria mais comum para nós é Símon. Depois foi o enredo em si.

O livro começa em uma festa de aniversário infantil onde um bebê aparece com um osso humano (osso esse identificado por um estudante de medicina que está acompanhando seu irmão). Eis que começam os questionamentos? De quem é esse osso? Quando esse osso foi parar naquele local?

Temos duas, na verdade três histórias em paralelo no livro. A história de Erlendur e seu relacionamento com seus filhos o que desencadeou o que está acontecendo com sua filha. A história dos moradores da região até chegarmos a vitima. E a história sofrida de uma família que vive nas mãos de um pai violento. Temos alternância de tempo nas histórias.

O autor conseguiu nos prender de mansinho. Sem falsa pretensão (ok, não tanta) ele nos instigou a ir além, a buscar com ansiedade o final do livro. É um livro denso que deve ser lido devagar. Como um bom vinho. Você precisa degustar. No começo você pode até ter uma dificuldade na leitura (por achar o desenvolvimento lento) mais recomendo que continue. Vale à pena. É uma ótima dica de leitura. Para quem gosta do gênero policial é um prato cheio. Leiam e depois me contem o que acharam. E peço desculpa se fui redundante em algum momento.


Leia um trecho aqui.

 

15 comentários :

  1. Liliana...

    Eu amo suspense policial entao acho que é uma otima dica para mim. Obrigada. Qto aos nomes... G-zuis e eu quem achava que ja tinha lido nomes estranhos na vida, mas esses ai...UAU rsrs

    Adorei sua resenha, parabéns, beijos :)

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente adoro romances policiais e esse parece ter um enredo incrível, me interessei!
    Ótima resenha!

    Beijos

    http://kastmaker.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. poxa eu tava na maior ansiedade pra ler esse livro mas por conta de outros acontecimentos a lariza que ta lendo, mas qdo ele voltar pra mim vou pegar pra ler imediatamente. otima resenha liliana, bjos

    ResponderExcluir
  4. Otima resenha, me interessei pelo livro.

    ResponderExcluir
  5. ñ sou mto fã de romances policiais, acho q é pq nunca encontrei um q me agradace d verdade.

    @dnisin

    ResponderExcluir
  6. Livros que retratam a história, mistérios e histórias denro de histórias me fascinam. Maravilhoso

    ResponderExcluir
  7. Taí um livro que me chamou a atenção desde o seu lançamento. Desde Lehane e seus maravilhosos livros que espero o lançamento de algo neste estilo. "Criança 44" aproxima-se bem do que gosto, ainda assim procuro alguém como Lehane. Não li a trilogia Millenium, mas já virei minha alça de mira para Arnaldur Indridason. Não sei se por causa da propaganda, já que eu não havia lido nada a respeito.
    Neste momento, após ler sua resenha e principalmente isso - "O livro começa em uma festa de aniversário infantil onde um bebê aparece com um osso humano..." - não há como eu não ficar maluco pra lê-lo. Bela resenha, quero este livro em minha estante.

    ResponderExcluir
  8. Esse sim é o meu estilo de leitura... Romance policial do melhores! Corpo desconhecido, policial tendo de resolver o caso e ao mesmo tempo lidar com o seus traumas interiores. Indo para a minha lista de "vou ler" do skoob agora mesmo! \o/

    ResponderExcluir
  9. histórias sobre guerra sempre me faz chorar costumo nao ler mt sobre isso pelo simples fato q me faz chorar mt mas adoro enredos assim fazeroq ne

    ResponderExcluir
  10. Parece ser um bom livro denso e sinistro na medida certa, mas não faz muito meu gênero...

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada desse tipo de gênero, mas parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  12. Esse livro deve ser muito bom, esse gênero de suspense, terror é o que eu gosto mesmo.

    ResponderExcluir
  13. O enredo não chamou atenção... faltou algo para me prender, talvez mais romance. Continuo precisando de romance na literatura. Deve ser para compensar o que anda em falta na vida real... rsrs.

    Bjkas!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...