terça-feira, 16 de agosto de 2011

Orgulho e Preconceito–Jane Austen

85017_160Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso mas imprudente senhor, no entanto, é um novo tipo de heroína, que não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições com perfeita lucidez de uma filósofa liberal da província. Lizzy é uma espécie de Cinderela esclarecida, iluminista, protofeminista.
Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica à futilidade das mulheres na voz dessa admirável heroína - recompensada, ao final, com uma felicidade que não lhe parecia possível na classe em que nasceu.





sp187


Este é um romance que DEVE ser lido não só com o cunho de entretenimento, mas também como fonte histórica porque descreve muitos dos costumes sociais da Inglaterra no início do Século XIX – evidenciando de forma crítica e bem-humorada o papel social da mulher bem como o que a sociedade vigente acatava, repudiava e almejava em suas relações.

Não há o apelo sexual existente em 99,9% dos romances atuais e nem por isso é um livro chato. Alguns o consideram enfadonho, eu sei. Porém, iludidos pela onda de apelação sexual atual, e impacientes pela demora do “gran finale” porque o casal principal cumpre uma verdadeira jornada de autoconhecimento e descobrimentos para enfim termos o enlace definitivo, as pessoas tendem a esquecer o que é uma boa leitura e isso é inadmissível porque, embora possamos gostar dos hots, não vivemos só de tchaca-tchaca-na-mutchaca e é preciso ter conteúdo, saber alimentar a alma com valores positivos como educação, compreensão, capacidade de diálogo e sensibilidade – e este livro é um prato cheio para tudo isso! Sem contar com o filme que também é bastante rico e foi feliz no enredo, além das lindas paisagens e do colírio que é o ator Matthew Macfadyen que interpreta o Mr. Darcy.

Jane Austin era uma mulher surpreendente, sagaz, inteligente e criativa que estava além de seu tempo. Numa sociedade paternalista e machista que elegia os homens como herdeiros dos bens de uma família e subjugava as mulheres a arrumarem casamentos assim que a puberdade batia à porta, caso contrário as condenava a ser um estorvo para a família, ela conseguiu manter-se solteira e virar uma escritora tendo assim condições de bancar a sua independência. Parece simples? Seria se naquela época uma mulher de mais de 20 anos solteira não fosse uma catástrofe não só para si como para a família. Nossa intrépida, brilhante e sensível Jane morreu aos 41 anos de idade virgem e solteira, deixando um legado de seis livros escritos com impressionante sensibilidade.

Concluído em 1.797 com o título de First Impressions (Primeiras Impressões), Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice) foi escrito quando a autora sequer tinha 21 anos de idade. O enredo é relativamente simples e os diálogos são impressionantemente ricos fazendo deste um dos maiores sucessos de vendas na literatura mundial. Gente! Já sei alguns diálogos até decorados tamanha é a beleza das frases bem-feitas e reproduzidas a ermo pela tradução. Aliás, parabéns a tradutora porque tem que ter um conhecimento considerável para criar a versão perfeita para o nosso idioma.

E eu? Eu realmente QUERO, SONHO com um Mr. Darcy só para mim! Por quê? Porque diferente dos ogros históricos que vemos por aí em incontáveis livros como os da Judith MacNaught, Hanna Howeell e etc, Mr. Darcy é um homem tímido, retraído e desconfiado daqueles menos providos porque a sua fortuna é imensurável e cobiçada, por isso, é tido como antipático e esnobe. Mas no desenrolar do livro vemos que não é nada disso; ele é o sonho que toda mãe acalenta para genro e toda mulher suspira com desejo porque, apesar da sociedade paternalista que considera a mulher como propriedade, ele tem caráter, sensibilidade, sabe reconhecer o valor das pessoas, sabe reconhecer suas próprias falhas e pasmem! Ele repara todo o mal que faz movendo céus e terras para tanto. Então, além de rico e bonito, ele é humilde. Humilde o bastante para rever seus conceitos, reparar seus erros e implorar pelo amor de sua adorada. Ulá-lá, cherry! Venha pro século XXI!

A trama realmente começa quando Mr. Darcy viaja em companhia de seu amigo Mr. Bingley e conhece a senhorita Elizabeth Bennet: a segunda mais velha de cinco irmãs, uma jovem espirituosa, simples, sincera e que mantém um profundo amor pela família – principalmente pelo pai e a irmã mais velha Jane (amada de Mr. Bingley).

A partir do romance entre Jane e Bingley, opiniões distorcidas e muito humor sobre os impropérios da família Bennet, temos o desenrolar de um sentimento que cresce entre Mr. Darcy e Elizabeth. Sentimentos antagônicos, conflitantes e confusos que geram diálogos ácidos e muita dúvida.

Ao longo do livro vemos o amadurecimento de Elizabeth, a luta de Darcy para reparar seus julgamentos errôneos, o sentimento amadurecendo e se modificando e um final mais que desejado.

Sou o tipo de pessoa que não aprecia romances melosos, nem sou sensível o bastante para suportar mocinhas com traumas que as martirizam e elas acabam descontando isso no mundo ou no mocinho, então, por Elizabeth mostrar-se incapaz de ser a vítima e mostrar-se audaciosa, orgulhosa e capaz de colocar quem quer que seja em seu devido lugar com o mínimo de esforço possível é que me tornei fã incondicional desse romance.

Vale muito a pena ler e ver como é que se escreve um histórico baseado principalmente no melhor que existe quanto à classe, inteligência e requinte na escrita.

RECOMENDADÍSSIMO! Nosso muito obrigado a Editora Companhia das Letras por gentilmente nos ter enviado o livro para resenhar. Aqui o link do livro no site da editora.

Hasta la vista!^^

sp187




Jane Austen


Nasceu no dia 16 de dezembro de 1775, em Steventon, perto de Basingstoke. Sétima filha do reitor da paróquia, viveu com a família em Steventon até se mudarem para Bath, após a aposentadoria do pai, em 1801. Após a morte dele, em 1805, ela se mudou com a mãe; em 1809, estabeleceram-se em Chawton, perto de Alton, Hampshire, onde permaneceria, com exceção de algumas visitas a Londres, até maio de 1817, quando se mudou para Winchester a fim de ficar perto de seu médico. Ali morreu no dia 18 de julho de 1817. Jane Austen era extremamente modesta com relação ao próprio gênio, descrevendo sua obra ao sobrinho, Edward, como “um pouco (duas Polegadas de espessura) de Marfim, que eu esfrego bem com uma Escova, de modo a produzir pouco efeito depois de muito trabalho”. Quando menina escrevia contos, incluindo versões burlescas de romances populares. Suas obras só foram publicadas após muitas revisões, e ela teve quatro de seus romances editados em vida: Razão e sensibilidade (1811), Orgulho e preconceito (1813), Mansfield Park (1814) e Emma (1815). Dois outros romances, A abadia de Northanger e Persuasão, foram publicados postumamente em 1817, com uma nota biográfica de seu irmão, Henry Austen, anunciando formalmente pela primeira vez a identidade da autora. Persuasão foi escrito enquanto ela lutava contra problemas cardíacos, entre 1815 e 1816. Deixou ainda duas obras: um romance epistolar curto, Lady Susan, e um romance inacabado, The Watsons. No momento de sua morte, ela trabalhava em um novo livro, Sandition, do qual sobrevivem apenas fragmentos.






Ficha Técnica:





Título: Orgulho e preconceito

Autora: Jane Austen

Tradutor: Alexandre Barbosa de Souza

Número de páginas: 576

Preço de catálogo: R$32

Lançamento 21/06/2011

ISBN 9788563560155















18 comentários :

  1. Abaixando para desviar dos sapatos mas eu já tentei ler esse livro umas 4 vezes e não consigo terminar #mimimi
    Não sei porque mas não consigo, não sei explicar! :)

    Adooorei o filme, por isso queria ler o livro. Uma amiga me disse que tenho de comprar essa nova edição pq a que tenho é horrivel (tenho a da Martin Clare)

    Enfim, adorei sua resenha Suzana, vc conseguiu despertar novamente o meu interesse na obra. E é fato, todo mundo merece um Mrs Darcy (suspiros)

    Super beijo e parabéns pela resenha :)

    ResponderExcluir
  2. Sei que um dia irei encontrar o meu Mrs Darcy...
    Ah!Se vou...

    ResponderExcluir
  3. Ai amiga quero ler esse livro. Adoro o filme. O seriado e nunca li o livro. Preciso. Urgente.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olha paras fãs deste filme sinto informar que a série da bbc de 95 com o Colin Firth é simplesmente umas mil vezes melhor que o filme(que só salva a fotografia, pois o figurino tem muitos erros, a atriz deu um tom totalmente errado a personagem e o ator peludo,cena traumatizante com camisa aberta, foi tímido ao invés de orgulhoso). É possível encontrar a série em livrarias, recomendo.

    ResponderExcluir
  5. Este livro é fantáastico e imperdível, mesmo para quem não é fã de romance.
    E claro que quem se interessa um pouco por história vai desfrutar imensamente do contexto.
    Adoro!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  6. Nossa, como eu amo esse livro... sem dúvida alguma está entre os meus favoritos... tipo TOP 10 da vida toda...rss
    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  7. Sempre tive vontade de ler algo considerado clássico, por isso comprei um livro da Jane Austen. Na época estava com muuitas leituras atrasadas e meu livro está relegado até hoje ao armário.
    Precisava de uma resenha apaixonada, que me fizesse encontrar a coragem necessária para pegar meu livro. E fico feliz em dizer que sua resenha teve esse efeito em mim.
    Pretendo começar minha leitura o mais breve possível.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Adoro esse livro! É um clássico da literatura que ganhou o mundo!

    ResponderExcluir
  9. esse é sem duvida meu livro favorito, o q eu tenho é um da capa horrivel... comprarei a edição com a capa do filme q é lindaaa.

    @dnisin

    ResponderExcluir
  10. Um livro que retrata a controversia, que mostra que a força vai além do preconceito, e que pode nos trazer orgulho

    ResponderExcluir
  11. Quer saber sobre as motivações e costumes de uma época leia Jane Austen, quer saber um pouco mais sobre relações interpessoais leia Jane Austen. Enfim, Jane é uma escola pra todo aquele que pretende seguir a árdua carreira de escritor.

    ResponderExcluir
  12. Bom, eu ja li o "orgulho e preconceito e zumbis"... sera q esse é muito diferente?! Acho q eu sentiria falta dos zumbis nesse! rs ^^

    ResponderExcluir
  13. esse relançamento eh mt bom eu tenho ele e confesso q nao li ainda mas to doido pra ler.. adoro jane .. e seus livros sao puramente bons otima resenha

    ResponderExcluir
  14. Primeiro vi o filme de 2005, e através dele descobri todo o universo de Jane Austen de quem me tornei fã. Já li o livro duas vezes, e me apaixonei pelo romance da Lizzie com Mr. Darcy, que é o homem dos sonhos de 99% das mulheres.
    Vale e muito a pena ler e aprender um pouco mais sobre a gama de sentimentos dos apaixonados.

    ResponderExcluir
  15. Eu gostei bastante da história, mas me perdia de vez em quando, a coisas que eu não entende, mas é um ótimo romance, é perfeito.

    ResponderExcluir
  16. Jane Austen é uma grande escritora seus romances são muito bons.

    ResponderExcluir
  17. AMO ESSE. Best romance ever. Amo Jane Austen.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...