segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Resenha: Paperboy–Pete Dexter


PAPERBOY_1365598386P
Edição : 1 / 2013
Idioma : Português
Número de Paginas : 336
Tradutor : Ivar Panazzolo Junior
I.S.B.N.: 9788581632186

SINOPSE:
Hillary Van Wetter foi preso pelo homicídio de um xerife sem escrúpulos e está, agora, aguardando no corredor da morte. Enquanto espera pela sentença final, Van Wetter recebe cartas da atraente Charlotte Bless, que está determinada a libertá-lo para que eles possam se casar. Bless tentará provar a inocência de Wetter conquistando o apoio de dois repórteres investigativos de um jornal de Miami: o ambicioso Yardley Acheman e o ingênuo e obsessivo Ward James. As provas contra Wetter são inconsistentes e os escritores estão confiantes de que, se conseguirem expor Wetter como vítima de uma justiça caipira e racista, sua história será aclamada no mundo jornalístico. No entanto, histórias mal contadas e fatos falsificados levarão Jack James, o irmão mais novo de Ward, a fazer uma investigação por conta própria. Uma investigação que dará conta de um mundo que se sustenta sobre mentiras e segredos torpes. “Paperboy” é um romance gótico sobre a vida aparentemente sossegada das cidades do interior. Um thriller tenso até a última linha, que fala de corrupção e violência, mas que, ao mesmo tempo, promove uma lição de ética.
Oi pessoal, estou aqui mais uma vez para falar sobre o livro mais difícil de ler, pelo menos pra mim. Sério, nunca demorei tanto pra ler um livro, como foi com Paperboy.
Juro que tento abrir minha mente para outros tipos de histórias, que não seja a minha preferida: Romances Hot. Até que tenho me dado bem, desbravando outros estilos, mas com esse livro não deu.
A história gira em torno do assassinato de um xerife, que venhamos e convenhamos  não era uma pessoa muito querida, principalmente entre os menos favorecidos. Pois bem, seu “assassino” foi preso em pouco tempo. Hillary Van Wetter, foi preso porque era primo de uma das vítimas do xerife e  logo é condenado a morte.
A história é narrada por Jack James, que mora com o pai e trabalha como entregador/motorista no jornal da família. Tem também seu irmão, Ward James, ao qual o pai tem orgulho, pois trata-se de um repórter investigativo em ascensão, junto com seu companheiro de trabalho, Yardley Acherman.
Bom até aí tudo bem, mas quando aparece Charlotte na história. A louca tem uma atração por presidiários condenados a morte, de preferência assassinos. E quando ela olha a foto de Van Wetter se apaixona de cara. A moça é tão maluca, que sem conhecer as suas conquistas, vai se correspondendo com os seus criminosos queridos através de cartas e caso lhe desperte um interesse especial por um deles, ela os envia uma foto. Já com o assassino em questão, Hillary, ela decidiu que o rapaz era inocente e decide provar de qualquer forma, para libertá-lo.
Não vou estender muito, para não dar spoiller e principalmente porque achei a história tão confusa que fica muito difícil de descrever. O livro não tem capítulos, o que é bem chato, bom eu achei esse livro chato por si só. Não gostei.
A capa é até bem legal, acho que foi por isso que fiquei curiosa para ler o livro, pois tem os personagens do filme, e ainda mais porque entre os personagens é nada mais, nada menos, que ele: Zac Efron, que faz o papel de Jack James. Acho que o filme deve ser mais suportável de se ver, pois podemos limpar nossa vista com o gatinho do Troy Bolton (High School Musical).
Abaixo o Trailer:

Espero que tenham gostado e até a próxima…
Assinatura de Resenhas

3 comentários :

  1. Não gostei desse livro, e o pior é que como faz tempo que eu li e não fiz uma resenha na hora, mal lembro da história, vou ter que reler *9
    Beijos!
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  2. gosto é mesmo uma coisa muito interessante, e livro é como pulga, pula em todo mundo, mas pica poucas pessoas. em minha modesta opinião este livro é sensacional, maduro, com um temática whodunit tradicional, porém com uma levada inovadora. provavelmente seu gosto não passa perto deste livro, já que gosta de romances hot, que tem como característica principal um núcleo de personagens reduzidos, com personalidades bem definidos e objetivo único: sexo pelo sexo. não que todos sejam assim, mas a maioria o é. também não leve isso como crítica, toda leitura é válida, todas têm seu valor. neste universo literário vale tudo e o que seria do amarelo se todos gostassem do azul. a única dica é que nunca se deixe esgotar em um único estilo, leia de tudo, de filosofia a biografias, isso faz com que nos tornemos aptos a novos horizontes, novos universos e volte sempre ao que você gosta, pra se livrar de leituras um pouco mais pesadas. abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodolfo,

      Estou buscando sempre novos generos para não limitar apenas na leitura dos romances hots. Como por exemplo: S. Sheldon me cativou de uma forma que adorei tanto seu estilo que busquei comprar mais livros. Não gosto muito de livros biográficos, porque o que busco na leitura é justamente sair da realidade, relaxar, é bem como você falou: gosto é mesmo uma coisa interessante....
      Mas não se preocupe, não deixarei de buscar novos autores e outros estilos. Seguirei sua dica ;)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...