terça-feira, 30 de setembro de 2014

Cartas de Amor Aos Mortos - Ava Dellaira

cartas-de-amor-aos-mortos

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

 

Faz um tempo que terminei de ler Cartas de Amor aos Mortos e realmente precisei desse tempo para digerir todas as emoções que senti ao terminar essa leitura. O livro fala de perdas, culpa, amizade, dor, solidão e superação, de uma forma que faz o leitor se colocar no lugar dos personagens e se identificar de alguma forma.

 

Laurel está começando numa nova escola e aproveitando isso ela resolve se reinventar e resolve abandonar os antigos amigos, a antiga escola e deixar toda dor para trás, ela acabou de perder sua irmã May que também era sua melhor amiga e a pessoa que ela mais amava no mundo.

 

No primeiro dia de aula, a professora de inglês, Sra. Buster, passa para todos a tarefa de escreve uma carta para uma pessoa que já morreu, Laurel então resolve escrever a primeira carta para Kurt Cobain, que era o cantor favorito de May. Assim começa uma sucessão de cartas para diversas personalidades que ela e May admiravam. Ela passa a usar essas cartas como um diário onde ela pode escrever sobre tudo o que sente, sobre os novos amigos e sobre a culpa que carrega, assim passamos a entender tudo pelo que ela passa e passou com sua irmã e conhecemos também um pouco da vida de cara personalidade a qual a carta se destina.

 

Após a morte de May, a mãe das duas resolveu ir embora para Califórnia, morar num rancho próximo a Los Angeles, e por isso Laurel dividia seus dias entre a casa do pai e da tia, Amy. Amy é uma mulher muito religiosa que impões algumas regras as quais Laurel tenta burlar, mas é na casa do pai onde tem mais liberdade que ela se sente mais próxima de May.

 

Ao tentar ser uma pessoa diferente, Laurel busca nas coisas da irmã uma nova forma de se mostra para o mundo. Logo começa a fazer amizade na nova escola e seus novos amigos fazem com que ela se abra para novas experiências e novas formas de ver a vida. Mas ao mesmo tempo ela sente que engana as pessoas por não estar mostrando quem realmente é e escondendo de todos uma parte da sua vida. Para ela não é fácil esquecer e ela passa a se questionar mais sobre os fatos que aconteceram na noite que May morreu e na culpa de não ter feito nada para ajudar a está dominando cada vez mais.

 

Quando Sky se aproxima Laurel se abre para o sentimento que tem por ele, mas em alguns momentos se fecha em sua dor. Sky acaba sendo um ponto de ligação entre ela e May e Laurel passa a analisar toda sua relação com a irmã, os momentos bons e ruins e tudo o que mudou quando May passou a fazer coisas das quais Laurel não concordava ou não tinha conhecimento.

 

Envolvida com os problemas dos amigos e com os seus próprios, Laurel se fecha em seu mundinho de dor e precisa reviver tudo o que aconteceu às vésperas da morte de May e pensar em como vai fazer para superar a culpa e a dor e perdoar a si e a irmã.

 

“Pensei no que ele disse. Que eu o magoei. Eu não tinha me dado conta disso. Às vezes agimos porque estamos sentindo tanta coisas dentro de nós e não percebemos como isso afeta os outros. Fui egoísta. [..]”

 

Gostei muito da escrita da Ava Dellaira, ela tratou de assuntos pesados e dolorosos de maneira real o que faz o leitor se sentir próximo da personagem, sentir os sentimentos dela e compartilhar da sua dor e confusão. O texto em forma de carta faz com que a leitura seja rápida, apesar de só nos dá o ponto de vista da Laurel, achei que ela consegue nos deixar a par dos que acontece com os outros personagens. Laurel em alguns momentos se mostra perdida na dor e ao mesmo tempo se mostra forte pra sair dessa teia de sofrimento, dá para notar o quanto ela amadurece e passa pelas fases do luto. Os personagens secundários são maravilhosos, Hannah, Natalie, Tristan, Kristen e Sky, são amigos que eu gostaria de ter, que estão ali para Laurel se ela precisar. Achei questionáveis algumas atitudes dos pais, mas ate entendo os motivos que os levaram a tais atitudes.

 

Super recomento a leitura desse livro, gostei de cada minuto que passei lendo e descobrindo mais sobre Laurel, Amy e como é importante dividir os momentos bons e ruins com as pessoas que amamos.

 

bjs

 

Cartas de Amor Aos Mortos 

Autora: Ava Dellaira

Edição: 1

Editora: Seguinte

Páginas: 344

0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...